Recursos de
Acessibilidade:  
Tecle Alt+1 : ir ao conteúdo Tecle Alt+2 : ir ao mapa do site Texto menor Texto maior Contraste                 
PREFEITURA MUNICIPAL DE MURUTINGA DO SUL
FacebookTwiterYou Tube
História do Município de Murutinga do Sul.

Webline Sistemas

HISTÓRICO DE MURUTINGA DO SUL

 

                   O  imóvel   Ribeirão do Moinho  possuía uma área aproximada   de 52.000 alqueires.

                   Foi esse imóvel adquirido por ocupação primária (poss ) pelo velho sertanejo Francisco Mario dos Santos, conforme justificação feita no ano de 1.850 e julgada por sentença do Juiz Municipal de Santa Cruz do Rio Pardo em 31 de  janeiro de 1.891          

                   Francisco Mario dos Santos e sua mulher, tendo assim, legítimamente,  adquirido o imóvel Ribeirão do Moinho de conformidade as leis de então, venderam – no  na sua totalidade  ao senhor Quirino de Toledo Ribas, por escritura lavrada em 15 de  fevereiro de  1.891 na cidade de Santa Cruz do Rio Pardo.

                   Por escritura pública de 1 de junho de 1.917, tomada nas notas do 7.º Tabelião de São Paulo, Maria da Conceição Ribas  e Ana Luiza  da Gama,  mulher e herdeira de Quirino de Toledo Ribas venderam essas terras nas seguintes condições:  35%  ao Dr. Ernesto Dias de Castro;  22,5%  ao  Dr. Mário Furquim; 22,5%  ao Dr.  Emilio Victor de Lima e 20%  ao  Dr.  Olimpio Rodrigues Pimentel. Essa escritura foi  transcrita em Bauru, sob  n.º 3974, em 7 de  junho de 1.917.

                    Conforme escritura de 27 de  março de 1.920, transcrita no município de Penápolis sob n.º 3.063, datada de 13  de junho de 1.921, o Dr. Olimpio Rodrigues Pimentel e sua mulher venderam ao Dr. Mário Furquim todos os direitos adquiridos dos  herdeiros  de Quirino Ribas pela escritura de 1 de junho de 1.917.

                   Assim é que o Dr. Mário Furquim ficou sendo proprietário de  42,5%  das terras do Ribeirão do Moinho. ( professor Alfredo Gabriel ).”           

                   Pedro Storti radicou – se  em Araçatuba em 1.911 e em 1.934, através de   Lussavira  penetrava a mata inóspita, vindo a principio para Castilho.

                   Provavelmente,   no  dia  19 de março de 1.937, Pedro Storti, fundava no traçado da variante que passaria no espigão divisor dos  rios Tietê  e Aguapeí ( Feio ), o Patrimônio de Aquidabam, onde procedeu o loteamento de pequenas e grandes propriedades, cujo progresso contribuiu  para o florescimento do povoado que mais tarde viria  a ser denominado  Murutinga do Sul.

                   Sabe – se que,   lá pelos idos de 1.934 a 1.936,  essas terras pertenceram a Nelson e  Plínio de  Carvalho, sendo Pedro Storti   procurador e também proprietário de uma área de  1.500 alqueires. Nessa época não havia estradas de rodagem, sendo que a Estrada de Ferro N.O.B. estava  parada em Valparaíso.  No dia 10 de julho de 1.937 foi inaugurada a Estação Férrea denominada de  Murutinga,  cujo traçado  já atingia o Estado de Mato Grosso, sendo o primeiro e único meio de transporte  na região, nessa época.

                   Pedro Storti vinha, a principio, fazer o reconhecimento da gleba, saindo de Araçatuba pela estrada de Ilha Seca, através de um picadão dentro da mata.

                    Nessa época, ou seja de 1937  a 1944 tudo  se dependia de Guaraçaí, principalmente, o comércio, registro civil. médico, farmácia e outros, tanto assim que que o povoado de Murutinga pertencia ao Distrito de Guaraçaí.

                    Pedro Storti, assim que fundou o povoado,  cuidou logo em fixar a residência de sua  família aqui, uma vez que  a maioria das terras era de sua propriedade, cuja gleba foi colonizada por 228 famílias, distribuídas em 228 lotes de pequenas áreas, do total de 1.500 alqueires, dos quais  20 alqueires foram  doados pelo Fundador para ser a sede do povoado.

                  Relembrar os tempos gloriosos que  tive nesta terra de riquezas, como a agricultura, pecuária e as tantas máquinas de beneficiar arroz e  café, um comércio em caminho de progresso e desenvolvimento ímpar, é um orgulho, quando hoje, vemos Murutinga do Sul que enobrece a nossa região e o seu povo ordeiro e trabalhador, amante  de um solvente que propicia o convívio  fraternal.

                  É o amor por Murutinga  que o povo sente a sua  grandiosidade como fonte de amor pela sua grandeza.

                  Historiar a sua origem e seu progresso atual  nos faz voltar o pensamento para poder reviver  a arrancar todo prazer que  a vida se nos oferece com sua habitual generosidade.

                 Esse amor por Murutinga, outrora Algodoal, nasceu e se  consolidou quando o seu fundador, senhor PEDRO STORTI, que residia em Araçatuba, adquiriu estas terras que pertenciam aos  senhores Nelson  e Plínio de Carvalho, numa área de 1.500 alqueires.

 

                 Com o seu progresso, a luta pela sua emancipação de Distrito para Município, o seu povo com muito fervor e muita felicidade ímpar abraçou esta  causa sagrada..

                 Algodoal estava em fase de satisfação, quando  uma Lei que lha dava direitos para sua emancipação, determinando que  cumprissem as suas exigências. Trabalho árduo, espinhoso e estafante. Todos esses  empecilhos  foram  quebrados porque o seu povo tinha consciência que poderiam e como de fato ficou provado – satisfazer as exigências da  Lei Orgânica.

               Voluntários abnegados, embrenharam – se  durante vários dias, dentro do território deste  grandioso Distrito e começaram, então, a azáfamar  para o alistamento de homens e mulheres, maiores de 18 anos, com residência de mais de 2 anos neste Distrito. Foi um trabalho desenvolvido pela  Comissão Pró – Município, encaminhado à Comissão de Estatística, na Assembléia Legislativa  do Estado, sendo recebida com admiração, porque um trabalho minucioso, claro e preciso, constava naquele caderno de informações fiéis sobre o valor e riqueza de Algodoal.

              Passavam – se os dias e quando a realidade iria se  concretizar, eis senão, quando,  inesperadamente, uma Emenda criminosa lança por água a fora, a aspiração para a sua a emancipação. Assim  a sua hegemonia, até então impecável não foi sufocada, pois que  somente essa dita Emenda de autoria de um dos  Deputados  fez com que Algodoal ficasse  sem o seu direito de ser cidade livre.

                 Felizmente, graças  as  inteligências desse povo que receberam, embora com antipatia e contrariedade,  a  última palavra de sua exclusão do rol das novas Edilidades. Não se perdeu o ânimo e nem  tão pouco o povo se esmoreceu ante aquela  noticia fatídica, mas foram abrigar – se  nas Leis que regem os nossos destinos, a sua garantia, honorabilidade e satisfação do seu desejo de emancipação, exigindo dos Tribunais Judiciários a sua palavra autorizada contra o golpe forjado para a não concretização de nossas aspirações. E isso foi feito graças ao Direito e Justiça que  a nossa Constituição, na época,  estabelecia.

                 Foi impetrado um mandato de segurança contra  a Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Foi com a inteligência  brilhante dos nossos Juízes de Fato que diante das exposições tácitas e claras, com argumentação precisa deram a sua palavra de ordem. Algodoal com um povo que lutou por São Paulo deu exemplo de amor ao Brasil que sem alarde e sem orgulho, demonstrou que aqui existem homens de brio foram a busca dos direitos na Justiça e conseguiram o que  mais desejavam,  transformar Algodoal de Distrito para Município  ( Professor Alfredo Gabriel ) “.

                  As primeiras famílias pioneiras que aqui chegaram e  muito contribuíram para a fundação e desenvolvimento do povoado foram: Pedro Storti e os filhos: Mario, Gentil, Pedro, Valdir e o genro Lincoln de Aguiar Corrêa; Família Rosseto: José, Francisco e Jacomo; Família Calestini ( Luiz, José, Antonio, Bruno),  Antonio Gagliato; Pedro Fioravante; Paschoal Frazili; João Barbosa; Agostinho ( pai do Caboge ); João Pancini; Atílio Storti; Abidias Duarte; Pedro Ochiuci;  Álvaro Mota; Carlos Yackstet;  Raimundo Bibiano; Joaquim Ferreira; Nagib Gabriel ( pai do professor Alfredo Gabriel);  Horácio Miranda; Elidio Miranda; Naim Abdo; Antonio  Tozzi; Família Antoniacci; Vicente Constantino ( pai do Nenê Constantino );  João Honório; Massú Santo e sua irmã Hagime; Família Nacfur; Hermógenes Palmiro Covre  e os filhos: José, Geraldo, Amadeu e Antonio);  Terencio Lima; Ernesto Marqueis; Família Modesto ( Antonio Macaúba);  Antonio de Souza; José Teles de Souza ( José Titico ); Antonio Ferreira de Mendonça;   Matiussi ( Ângelo, Ernesto, João e Valentino); Luiz Marin; Seu Azuh; Sebastião Alves Ribeiro; Alderijo Rostichelli;  Salvador  Garcia;  João Bertão;  Paulino Pereira Assis; Francisco Romio e os filhos Idílio, Alcides e Nestor;  João Patricio;  João Bareca; Francisco Bertoletti; Joaquim Dias Pedrozo;  João Ferreira Lima ( João Catarino ), Antonio Ramos Proença;  José Rodrigues e Irmãos; João Geraldo; Basílio Marcussi; Abramo Berto; Bortolo Merizio; Família Soares; Família Doretto; Domingos Zerbinatti;  Raul  Macerau e o  filho Álvaro Macerau; Amadeu Rebucci; Família Bianchini; Luiz Ottoboni; Antonio e Miguel Monteiro; Guerino Marchi, João Hipólito; José Gomes; João Torquato;  Osvaldo Soares; Salim Miguel (pai do  farmacêutico João Miguel)

                    De acordo com a lei estadual n.º 14.334, de 30 de novembro de 1.944, Murutinga foi elevada à categoria de  Distrito com o nome de Algodoal, posta em execução a partir de 01 de janeiro de 1.945. A troca de nome de Murutinga para Algodoal provocou grande descontentamento na população. Todavia a Estação Ferroviária da NOB ( Noroeste do Brasil ) sempre manteve o nome  de  Murutinga.   

                     Pela lei estadual n.º 2.456 de 30 de dezembro de 1.953, o Distrito de Algodoal foi elevado à categoria de município com o nome de  Murutinga do Sul, cuja instalação se deu a 01 de janeiro de 1.955, tendo como primeiro prefeito, o médico – Dr. Celso Justo.

                     Murutinga do Sul,  como município, foi criado com terras desmembradas dos municípios de Andradina e  de Guaraçaí.

                     Prefeitura Municipal ( Poder Executivo ) foi instalada m 01 de janeiro de 1.955, em prédio não próprio localizado à rua Luiz Calestini n.º 142 e a Câmara Municipal ( Poder Legislativo ) à rua Marechal Deodoro n.º 230, sendo o senhor Clóvis Dias Pereira, de saudosa  memória, o  primeiro Presidente do Legislativo Municipal.

                    O município é dotado de terras férteis, próprias para a agricultura: café ( sua principal atividade econômica),seguida da pecuária, cultura do arroz, milho, feijão, amendoim, mandioca, algodão ( donde derivou – se o nome de  Algodoal, dado ao Distrito), frutas, avicultura, etc..

                     O município comemora seu  aniversário (data da emancipação político – administrativa no dia 1 de maio, coincidindo com o dia  do Trabalho, todavia,  por lei, a data verdadeira e correta  é 30 de dezembro

Dados Geodemográficos:

- clima  - temperado

- altitude – 403 metros

- longitude – 51º 15` W Gr

- latitude -  20º 59`Sul

- topografia – terras onduladas

- área  total do município:  242 km2, aproximadamente.

- área do perímetro urbano -  1.012.385,00  m2 ou  101,2.385 há ( hectares ), ou ainda 1,012 385 km2;

- limites-  com os municípios de Andradina, Guaraçaí e Nova Independência.

- Comarca – Andradina

- população – censo de 2 007 – 4.098 habitantes;

- Eleitores inscritos no município;

- Bairros Rurais – Salto Alegre, Córrego Seco, Itaúna, Campestre,  Córrego Fundo, São Pedro, Moinho, Jaó, Iguatemi, Sapé, 9 de Julho, Santa Cruz, Abelha, Córrego da Onça, Cemitério, Uchoa, Palmeiras, Olaria, Peroba, Maravilha e Ipê.

- Bairros Urbanos-  Botafogo e Loris Calestini ( antigo Esplanada).

Localização – Região Noroeste do Estado de São Paulo – IX  Região Administrativa Araçatuba,  distando cerca de 40 km do Rio Paraná e divisa do Estado de Mato Grosso.

- Distância  da Capital do Estado:

   Por rodovia: 625 km

   Por ferrovia: 720 km

- Distância de Araçatuba – 100 km.

- Distância de Andradina -   18 km.

- Populações:    1940 ( 2.500 habitantes ) estimativa do Fundador

                     -  1950 ( 8.100 habitantes)  - IBGE

                     -  1960 ( 7.502 habitantes ) - IBGE

                     -  1970 ( 5.395 habitantes ) - IBGE

                     -  1980 ( 4.595 habitantes ) - IBGE

                     -  1991 ( 3.784 habitantes) -  IBGE

                     -  2000 ( 3.963 habitantes)  - IBGE

                     -  2007 ( 4.098 habitantes)  - IBGE

                   Suas terras são ricas, quimicamente, em virtude da constituição do solo, acentuando – se em grande parte por solos podzolizados e latozol vermelho escuro. Considerando as diversidades de fertilidades existentes, conclui tratar –se de   uma área em condições agrícolas surpreendentes, que motivou  uma estrutura existente, povoando assim a zona rural e consequentemente, a urbana, dedicada às mais variadas culturas agrícolas.

                          Na  situação demográfica do município, observa – se  nos últimos   anos,  uma  variação acentuada, acusando a baixa população rural e o aumento  da urbana.

                          Murutinga do Sul que já contou com uma população, de aproximadamente, 12.000 habitantes (informação do senhor Mário Storti ),  lá pelos idos de  1 954 – 1 960, esse número, ano após ano,  foi sendo reduzido em conseqüência do êxodo rural, cuja população para a busca de melhores condições de vida e de trabalho nas grandes cidades foi forçada a mudar – se daqui e, ainda devido a substituição  de muitas lavouras  cafeeiras pelas pastagens, sendo esta atividade a grande responsável pela decadência gradativa da  população, que hoje tem cerca  de um terço do que já atingiu em outras épocas.

                          Pedro Storti foi sempre um autêntico pioneiro, pois desde os primeiros tempos trouxe para o meio dos desbravadores a sua família, onde com ela desenvolveu a agricultura, pecuária e comércio, progredindo com a terra que acabara de fundar.

PEDRO STORTI:    

Filho de José Storti e Genoefa Storti

Natural da cidade de Cavalhere – Itália

Nascido no dia 6 de junho de 1.886

Faleceu  no dia 30 de abril de 1.970 na cidade de São Paulo

Era casado  com ANTONIETA BIM STORTI

Natural de  de Trevisan – Itália, onde nasceu em 10 de junho de 1.880

Faleceu no dia 19 de setembro de 1.952 na cidade de Araçatuba /  SP.

FILHOS DO CASAL:

01 – Maria, casada com Domingos Pedutti

02 – Ana , casada com Sebastião Portella

03 -  Maio, casado com Idelfonsa Villar

04 -  Gentil, casado com Maria Molina.

05 -  Idalina, viúva de Jair Arruda.

06 -  Nair, casada com Lincoln de Aguiar Corrêa.

07 -  Santa, casada com Aurélio Luiz  de Oliveira.

08 -  Jair, casado com  Ilda Faria.

09 -  Dr. Pedro ( advogado ) casado  com Onaida Cruz

10 -  Dr. Plínio ( médico ) casado  com Ieda

11 -  Dr. Cláudio ( médico ) casado com  Áurea Lima

12 -  Valdir ( já falecido ) casado com Marinalva  Benez.                                 

DADOS  IMPORTANTES:

 - Estação Ferroviária da NOB  fundada em 10 de julho de 1937.

   1.º Agente da Estação.  Sr. Melchior

   1.º Portador: Teodolino da Silva

   O prédio da  Estação Ferroviária foi construído pelo sr.  João dos Santos (  João Gato )

   Para a construção da Estação, conserva, viradouro e esplanada a Família Storti doou à NOB, uma área de 3 ( três) alqueires de terras.

 -  1.ª Casa do Povoado:  foi construída pela Família Storti na Avenida 9 de Julho ( ao lado da Piscina). Ela era de barro e foi construída  durante os primeiros meses do ano de 1937, sendo que o sr. Justo Pancini foi o seu primeiro morador.

-   1.º Armazém ( casa comercial )  em um prédio de tábuas, pertencente ao Sr. João Bareca e posteriormente, transferido para o Sr. João Patrício no ano de 1.937.

-    1.º Açougue:   do Sr. João Geraldo  e mais tarde do Sr. José Rodrigues.

-    1.º Bar:  João Lagoano   

-    1.ª Padaria:  Francisco Bertoletti;

-    1.º Barbeiro: João  Matiussi e  José Agostinho;

-    1.ª Livraria e Bazar: Antonio Ferreira de Mendonça;

-    1.º Sapataria:  Francisco Bertoletti;

-    Loja ( tecidos e calçados ) do sr. Naim.

-    1.ª Máquina de Beneficio de Arroz:  Abramo Berto;

-    1.ª Serraria:  Basílio Marcussi ( onde atualmente é o Almoxarifado Municipal ).;

-    1.ª Farmácia: Alfio Marquete

-    1.º médico:   Dr. Celso Justo;

-    1.º Dentista:  Dr. José Goulart e  depois,  Dr. Antonio Lima;

-  1.º Hotel:  Antonio Ramos Proença (Avenida 9 de Julho onde hoje é a Prefeitura Municipal);

-  1.º Posto de Gasolina: Posto São Paulo  do Sr.  Clovis Dias Pereira e, atualmente,  pertence aos Irmãos Merizio, na rua Marechal Deodoro n.º 460;

-   1.ª Igreja:  1.ª  capela fundada em 1.940, onde hoje é a Matriz São José.

-   1.º Vigário ( Padre )  Padre Carlos  era de Guaraçaí e atendia Murutinga.

-  1.ª Escola:   A  escola era  mantida pela Família Storti (Escola particular );

- 1.ªs. Professoras primárias:   Professora Ester;  Professora Jovita Guimarães Duarte  e Professora Nair Storti, lá  pelos idos de 1938 a 1941;

- 1.º Grupo Escolar:  fundado em 1.941 e  já pertencia  ao Governo do Estado de São Paulo, era localizado à rua Gomes Ribeiro nos números 40 a 60, onde atualmente, estão as residências dos senhores  Orlando Molina e do Professor  Ivan Antonio Pereira;

- 1.ª agência dos Correios e Telégrafos:   fundada em 1.944, sendo a sra. Nair Storti a sua primeira  Agente e mais tarde, a srta. Amélia Constantino ( irmã do sr. Américo Constantino );

- 1.º  Cartório de Registro Civil:   fundado em 1.945, quando da elevação do povoado de Murutinga à categoria de Distrito de Algodoal, sendo o senhor  Gentil Storti  o seu primeiro  Tabelião (escrivão);

-  1.ª Industria: Fábrica de Farinha de Mandioca do Sr, José Teles de Souza ( José   Titico ).  Posteriormente,  no ano  de 1.948 surgiu a “ Fábrica de Vassouras Sete Irmãos “ do sr. João Matiussi, na Avenida 9 de Julho, esquina com a rua Carlos Gomes, sendo mais tarde transferida para a Praça Pedro Storti, no prédio comercial onde atualmente está a Máquina de Beneficio de Arroz dos Irmãos Doretto.

-  1.º Inspetor de Quarteirão:  João Geraldo da Silva  (  uma espécie de Sub- Delegado de Policia);

-   1.º  Banco: Banco Popular (Agência Bancária);

-  1.ª Oficina: na rua Gomes Ribeiro pertencia ao sr.  João Tarzan e mais tarde do sr.  Carlos Yacstet ( fábrica de  carroças de tração animal);

- 1.ª Olaria: era do Sr. Pedro Storti, que, desde o principio fornecia  tijolos para a construção da maioria dos prédios da cidade e da  zona rural;

-  2.ª Olaria:  era do Sr. Francisco Romio;

-  1.ª Fábrica de Móveis:   do sr. Faustino (  carpintaria e marcenaria );

- 1.º Cinema:  José Molina e Gentil Storti,  em  prédio já demolido,  localizado na Avenida Rosa de Lucas Covre ( antiga Avenida São Bento), esquina com a rua Luiz Calestini.  Em 1.953, o sr. Joaquim Dias Pedrozo inaugurou o novo Cinema, em prédio próprio e  novo, na Avenida 9 de Julho,  por ele construído,  e  hoje pertence ao sr. Ivo Marques de Souza;

- 1.º Clube  de Diversão: Murutinga Esporte Clube – MEC, fundado em 1.946.

 -  Iluminação Pública:  no inicio era um motor a diesel, fornecido pela Família Storti ( apenas iluminação ), mais tarde veio a iluminação e a energia elétrica através da Empresa Elétrica de Itapura.  Hoje a  iluminação e a energia elétrica  são fornecidas através da  CESP  Companhia  Energética de São Paulo.

- 1.º s Arrendatários de  terras da Família Storti:  Antonio Ramos Proença, Antonio e Miguel Monteiro, João Matiussi, Guerino Marchi,  José Gomes, João Hipólito, João Torquato e tantos outros

- 1,º s  Empregados: ( desbravadores das matas  e  tiradores de madeira ) – Família Modesto ( Macaúba ),  José Baiano, Luiz  Lopes, Manoel Messias Dantas, Joaquim Ferreira, Benevindo Alves e outros.

- 1.ºs. Comerciantes:  João Geraldo (  açougue ); João Lagoano ( bar );  José Agostinho (barbearia);  Abramo Berto ( máquina de beneficio de arroz); Alfio Marquete (  farmácia );  José Goulart ( dentista );  Antonio Ramos Proença (  hotel ); Francisco Bertoletti ( padaria e bar ); João Tarzan ( Oficina ), Carlos Yackstet ( oficina e fábrica de carroças);  João Bareca ( armazém);  José Rodrigues ( açougue ):  Naim  ( loja ):  Abrahão Hadad (  loja ):  Nasser Hadad ( loja );  Casa Sol ( esquina da Avenida 9 de Julho, esquina com a Marechal Deodoro ); Antonio Ferreira de Mendonça ( livraria e papelaria escolar na Avenida 9 de Julho/ junto à piscina );  João Miguel ( farmácia na Av. 9 de Julho), Alfredo Gabriel ( escritório ); Galdino Dantas ( bar); João Honório ( bar );  Onodera ( bar ). Furuya ( bar ); Euclides Munduruca ( armazém e ferragens ); Lopes ( armazém ); Clovis Dias Pereira ( posto de gasolina ); Pedro Storti ( olaria ), Francisco Romio ( olaria )

-  1.º Caminhão -  Artur Bianchini;

- 1.º Juiz de Paz:   Hermógenes Palmiro Covre;

- Dados importantes:

Nomes  que Murutinga do Sul já ostentou no passado:

- no inicio do povoado, ou seja de 1937 até  1938 – Povoado de  Aquidaban;

- De 1938 a 1944 -   Patrimônio de Murutinga;

- De 1945 a 1953 -   Distrito de Algodoal;

-De 1954 para cá,  emancipado a condição de Município  de  Murutinga do Sul.

- Comissão criada para a elevação  do Patrimônio de Murutinga  à categoria de Distrito:

- Pedro Storti; Pedro Storti Filho; Mario Storti; Gentil Storti; Bruno Calestini; João Patrício; Lincoln de Aguiar Corrêa:  Abidias Duarte; Mario Teixeira; Valter Botura; Agripino Ramos; Américo Bocigio;

Nessa época era interventor  Estado o senhor  Fernando Costa.

Essa Comissão teve  grande apoio de Joaquim Moura Andrade, fundador de Andradina, bem como do senhor Evandro Brembatti Calvoso, de Andradina.

-  Comissão criada para elevação  do Distrito de Algodoal à categoria de Município:

- Pedro Storti; Mario Storti, Pedro Storti Filho; Gentil Storti; Lincoln de Aguiar Corrêa; Bruno Calestini; Otelo Calestini; João Honório;  Euclides da Costa Munduruca; João Miguel; Carlos Titico;  Alfredo Gabriel;  Manoel Messias Dantas; Atílio Storti; Ângelo Gasparelli e outros.

Nessa época era Governador do Estado o senhor Lucas Nogueira Garcês.

Essa Comissão teve o apoio dos Deputados Cunha Bueno e  Amaral Furlan..

Governos Locais:

 a) - Povoado de Aquidaban  -     1937 a 1938 – Administrado pela Família Storti;

b) - Patrimônio de Murutinga1939 a  1944 – Administrado pela Família Storti;

c) - Distrito de Algodoal:   1945 a 1954 - Sub – prefeitos nomeados pelos prefeitos do municipio de Andradina:

-  Mario  Storti;

-  Valter Botura;

- Agripino Arruda;;

- Lincoln de Aguiar Corrêa;

d) município de Murutinga do Sul: A partir der 1 de janeiro de 1955, os prefeitos municipais,  vices – prefeito e Vereadores:

- PODERES  EXECUTIVO E LEGISLATIVO  MUNICIPAL:

 - 1.º Mandato –        1955 a 1958

    Prefeito:                  Dr. Celso Justo

    Vice – Prefeito:      Henrique Calestini

 - 1.ª  Legislatura –   1955 a 1958

    Vereadores:       Atílio Storti; Afonso Melão; Ângelo Gasparelli; Clovis Dias Pereira; Professor Moisés Carlos dos Santos Filho; Gentil Storti; João Felizardo de  Souza:  José Soares dos Santos e Virgilio Manrique.

Exerceram o cargo de Presidente da Câmara Municipal:  Clovis Dias Pereira e Atílio  Storti.

-  2.º Mandato –       1959 a 1962:

    Prefeito:                 Bruno Calestini

    Vice – prefeito       Manoel Messias Dantas

    2.ª Legislatura -    1959 a 1962:

    Vereadores:       Atílio Storti;  Dr.Celso Justo; Eduardo Manrique; Gentil Storti; João Miguel; Manoel Roque de Melo; Mario Pereira do Nascimento; Osvalter Paro e Otelo Calestini

Exerceram o cargo de Presidente da Câmara Municipal: Dr. Celso Justo; Manoel Roque de Mello e  Atílio Storti.

 -  3.º Mandato –       1963 a 1966:

    Prefeito:                  Dr. Celso Justo

    Vice – prefeito:      José Covre Netto.

    3.ª Legislatura:     1963 a 1966

    Vereadores:       Afonso Melão; Bruno Calestini; Ernesto Trentin; Geraldo Covre;  Henrique Calestini; Luiz Berto; Manoel Messias Dantas; Valdir Storti e Mario Manrique.

Exerceram o cargo de Presidente da Câmara Municipal: Henrique Calestini; Geraldo Covre; Valdir Storti e Geraldo Covre.

-  4.º Mandato  -       1967 a 1969:

    Prefeito:                  Romeu Cestari

    Vice – prefeito:       Idílio Romio

    4.ª Legislatura:     1967 a 1969:

    Vereadores:    Armando Trentin; Aziz Nacfur; Dr. Edmur Aparecido Calestini; Eiter Paganini; José Beccaria; Luiz Berto;  Mario Ernica; Mario Ogata e Raimundo Modonesi. ( Pedro Baptista e Antonio Matiussi – suplentes de vereador).

 

Exerceram o cargo de Presidente da Câmara Municipal: Aziz Nacfur; Dr.  Edmur Aparecido Calestini;  Armando Trentin e  Eiter  Paganini.

-  5.º Mandato –        1970 a 1972:

    Prefeito:                  Geraldo Covre

    Vice – prefeito:       Idílio Romio.

    5.ª Legislatura:      1970 a 1972:

    Vereadores:             Professor Eugênio Dodecézino Berto; Guardemiro Gatti;  Helio Baptista; Jayme Monteiro Ramos; José Beccaria; Luiz Berto; Luiz Bertoletti:  Manoel de Almeida e Noriel Augusto Martins. ( Aureliano de Oliveira Rocha e Francisco Djalma Bertoletti – suplentes de vereador ).

Exerceram o cargo de Presidente da Câmara Municipal: Professor Eugênio Dodecézino Berto  e Luiz Bertoletti.

-  6.º Mandato –        1973 a 1976:

    Prefeito:                  Orlando Molina

    Vice- prefeito:        Clovis Paro

     6.ª Legislatura:     1973 a 1976:

     Vereadores:            Adão Casimiro;  Aziz Nacfur; Francisco Bialon Sanches; Idílio Romio; Ivo Marques de Souza; Luiz Bertoletti; Luiz Wilson Barbosa; Miguel Dourado e  Osvaldo Pereira Assis.

Exerceram o cargo de Presidente da Câmara Municipal:  Idílio Romio e  Aziz Nacfur.

-  7.º Mandato:         1977 a 1982:

    Prefeito:                  Romeu Cestari

    Vice – prefeito        Francisco Bialon Sanches;

    7.ª Legislatura:     1977 a 1982. 

    Vereadores:            Aziz Nacfur;  Osvaldo Bianchini; Idílio Romio; Luiz Wilson Barbosa; Luiz Bertoletti; Antonio Pereira Assis; Jayme Monteiro Ramos (substituído pelo suplente Ercílio  Beccaria); Tomoaki Ishy e  Miguel Dourado.

Exerceram o cargo de Presidente da Câmara Municipal:  Luiz Bertoletti; Aziz Nacfur e Miguel Dourado.

  -  8.º Mandato:         1983 a 1988:

    Prefeito:                  Orlando Molina

    Vice- prefeito:        Rubens Pereira Assis

    8  Legislatura:    1983 a 1988:

     Vereadores:            Tomoaki Ishy,  Carlos Aristides Besselli, Osvaldo Pereira Assis, Osvaldo Bianchini,  Leonildo Antonio Gualdi,  Ivan Antonio Pereira, José Ferreira da Silva, Luiz Wilson Barbosa e Rubens Amorim de Oliveira.

Exerceram o cargo de Presidente da Câmara Municipal: Luiz Wilson Barbosa; Osvaldo Pereira  Assis e Osvaldo Bianchini.

  -  9.º Mandato:         1989 a 1992:

    Prefeito:                  Romeu  Cestari

    Vice – prefeito:       Geraldo Covre.

   9.ª Legislatura:      1989 a 1992

    Vereadores:            Antonio Carlos Ordine, Antonio de Oliveira, Onivaldo Massarenti,  Ilda Caetano Louzada, Francisco Aparecido Uceda, Tomoaki Ishy,  Carlos Aristides Besselli, José Célio Campos, Rubens Pereira Assis, Osvaldo Pereira  Assis e Euclides Bianchini..

Exerceram o cargo de Presidente da Câmara Municipal:

1989/1990 – Osvaldo Pereira Assis

1991/1992 -  Antonio Carlos Ordine.

 - 10.º Mandato:       1993 a 1996:

    Prefeito:                  Dr. Rubens Amorim de Oliveira

    Vice – prefeito:       Osvaldo Pereira Assis.

    10.ª Legislatura:    1993  A 1996:

    Vereadores:        Onivaldo Massarenti. Francisco Aparecido Uceda, Nilton Laluci de Sá, Antonio Carlos Ordine, José Antonio Codognato, José Célio Campos. Rubens Pereira  Assis, José Faustino Rodrigues da Silva,  Antonio de Oliveira, Euclides Bianchini e Davi Gonçalves.

 

Exerceram o cargo de presidente da Câmara Municipal:

1993 /1994 -  Onivaldo Massarenti

1995 /1996 -  Antonio de Oliveira.

-  11.º Mandato:        1997 a 2000:

    Prefeito:                   Professor Ivan Antonio Pereira

    Vice- prefeito:         Professor Anatalicio de Oliveira.

    11.ª Mandato:        1997  a  2000:

     Vereadores:             Antonio Carlos Ordine ( substituído pelo suplente Atílio Batista Pacce),  Francisco Aparecido Uceda, Gilson Pimentel,  José Faustino Rodrigues da Silva, José Roberto Beccaria, Marcos Celestino, Onivaldo Massarenti,  Osvaldo Bianchni,  Regina Neife Jordão de Paiva, Tomoaki Ishy e  Vera Lucia Pandin de Sá.

Exerceram o cargo de Presidente da Câmara Municipal:

1997 – Francisco Aparecido Uceda

1998 -  Antonio  Carlos Ordine

1999 -  Gilson Pimentel

2000 -  Vera Lúcia Pandin de Sá.

- 12.º Mandato:         2001 a 2004:

   Prefeito:                    Professor Ivan Antonio Pereira.

   Vice- prefeito:          Professor Anatalicio de Oliveira.

   12.ª Legislatura:     2001 a 2004:

    Vereadores:        Eder Valdir Cestari,  Gilson  Pimentel, Antonio de Oliveira,  Regina Neife Jordão de Paiva, Antonio Carlos Gambarato ( renunciou ao mandato e substituído pelo suplente  Carlos Aristides Besselli );   José Antonio Codognato, José Célio Campos, José  Faustino Rodrigues  da Silva,  Marcos Celestino,  Nilton Laluci de Sá e Onivaldo Massarenti.

Exerceram o cargo de presidente da Câmara Municipal:

2001 –   Nilton Laluci de Sá

2002 –   Onivaldo Massarenti

2003  -   Marcos Celestino

2004 -    Eder Valdir Cestari

-  13.º Mandato:        2005 a 2008:

    Prefeito:                   Gilson Pimentel

    Vice –Prefeita:        Professora Áurea Ernica Cestari

   13.ª Legislatura:    2005 a 2008

   Vereadores:           José  Antonio Codognato,  Claudenilson Matiussi,  Regina Neife Jordão de Paiva,  Adriano Humberto Nunes, José Adenilson de Souza,  Vera Lúcia Pandin de Sá,  Antonio de Oliveira, José Santos Jacomeli e André   Ribeiro da Silva.

Exerceram o cargo de presidente da Câmara Municipal:

2005 – José Antonio Codognato

2006 -  Regina Neife Jordão de Paiva

2007 -  Adriano Humberto Nunes

2008 -  Antonio de Oliveira.

-  14.º Mandato:        2009 a 2012:

   Prefeito:                    Gilson Pimentel

   Vice- prefeita:           Professora Áurea Ernica Cestari

   14.ª Legislatura:   . 2009 a 2012:

Vereadores:  Adriano Humberto Nunes,  André Luiz Ribeiro da Silva, Claudenilson  Matiussi,  Eder Valdir Cestari, José Adenilson de  Souza,  José Santos Jacomeli,  Nilson Xavier de Carvalho, Onivaldo Massarenti e Regina Neife Jordão de Paiva.

Exerceram o cargo de presidente da Câmara Municipal:

2009 -  Eder Valdir Cestari

2010 -  Claudenilson  Matiussi

Murutinga do Sul na atualidade:

a)    Assistência Social

- Serviço de Assistência Social do município.

- Centro Comunitário Urbano de  Murutinga do Sul;

- Creche Maria Aravechia Cestari;

- Circulo Operário Rural  de Murutinga do Sul

- Clube de Mães;

- Associação de Pais e Mestres da E.E.P.S.G. Padre Anchieta.

- Associação de Pais e Mestres da E.E.P.G, Antonieta Bim  Storti

    b)   Assistência  Médica:

         - Irmandade da Santa Casa de Misericórdia de Murutinga do Sul ( Hospital São José e Maternidade Nossa Senhora Auxiliadora )

         -   Centro de Saúde;

         - Sindicato  dos Trabalhadores  Rurais de Andradina ( Delegacia de Murutinga do Sul);

         -  02 médicos residentes;

         -  03 dentistas

         -  02 Farmácias.

c)    Clube de Serviço:

- Lions Club de Murutinga do Sul.

d)    Clube de Diversão:

- Murutinga  Esporte Clube -  MEC

     e)  Educação e Cultura:

- EEPSG. Padre  Anchieta

- EEPG. Antonieta Bim Storti

- 07 Escolas Estaduais Isoladas ( rurais )

- Biblioteca Pública Municipal Gonçalves Dias.  

f)     Entidades  Religiosas:

- Igreja Católica Apostólica Romana – Matriz  São José

- Capela do Bairro São Pedro

- Capela do  Bairro Salto Alegre;

- Capela do Bairro Córrego Fundo

- Capela do Bairro Jaó

- Igreja Batista

- Congregação Cristã no Brasil

- Igreja Evangélica Assembléia de Deus

- Igreja Evangélica Pentecostal A Palavra de Cristo para o Brasil

- Centro Espírita Cosme e Damião.     

g)    Órgãos Públicos Federais:

- Agência do  Correio

- Representação  do  INPS  e FUNRURAL

- Rede Ferroviária Federal S.A, -  RFFSA

- Ministério  do Exército – Junta do Serviço Militar

- Telecomunicações de São Paulo S.A.   TELESP  (Sistema Telebrás ).

h)    Órgãos Públicos Estaduais:

- Coletoria  Estadual;

- Cartório do Registro Civil e Tabelionato;

- Centro de Saúde;

- Delegacia de Policia;

- Comando da Policia  Militar

- Caixa Econômica do Estado de São Paulo S.A.   CEESP

- Banco do Estado de São Paulo S.A. – Banespa

- Companhia Energética de São Paulo S.A.  CESP

i)     Órgãos Públicos Municipais:

- Prefeitura Municipal

- Câmara Municipal

- Estação Rodoviária   Municipal Francisco Bertoletti

- Centro de Lazer do Trabalhador Bruno Calestini

- Quadra de Esportes  José  Telles de Souza

- Estádio Municipal Stélio  Machado Loureiro

- Piscina Pública Municipal

- Almoxarifado Municipal

- Serviço de Água e Esgoto -  SAE.    

j)       Agências Bancárias:

- Caixa Econômica do Estado de São Paulo S.A.. A Agência da Caixa Econômica  instalada em  Murutinga do Sul, inaugurada em 1948,  foi uma conquista do Dr. Pedro Storti Filho ( advogado ),  que convidou o  Professor Alfredo  Gabriel para agencia – la como seu primeiro Gerente.   

- Banco do Estado de São Paulo S.A. Banespa

- Banco Brasileiro de Descontos S.A.  Bradesco   

k)    Comércio:

40 estabelecimentos comerciais diversos

59 prestadores de serviços.  

l)      Industria:

- 01 fábrica de  máquinas e equipamentos para produção de escovas e vassouras – fabricação de  escovas e vassouras;

- 01  industria de móveis de madeira – marcenaria

- 04 máquinas de beneficiamento  de arroz e outros cereais.

- 01 máquina de beneficiamento de café ( exportação ).

Murutinga do Sul – seu significado – sua expressão.

a) Murutinga -   dada à existência de grande  quantidade de palmeiras na região denominadas  muritis,  por ocasião do desbravamento das terras, advindo assim o  topônimo que o município ostenta.

b)  do Sul           -    Murutinga recebeu o atributo  do Sul  para que não se confunda com a localidade homônima Murutinga do Sul, no Estado do Amazonas.     

Feriados Municipais:

         Pela lei municipal  n.º 241 de 1 de abril de 1967, foram incluídos os seguintes feriados municipais:

         - 19 de março -  São José – padroeiro do município;

         - Sexta- Feira da Semana Santa;

         - Corpus Christi;

         - 2 de novembro.

Epílogo:  Fica aqui tributada nossa honra e nosso reconhecimento ao grande líder que foi Pedro Storti,  de saudosa memória, cujo nome merece o respeito e veneração de todos os  murutinguenses pela luta de homem  intrépido e  incansável  no grande ideal da fundação da querida Murutinga do Sul há mais de 49 anos.

                  À Família Storti,  ora representada pelo seu Filho Mario Storti, que permanece entre nós, residindo aqui em Murutinga do Sul e sempre contribuindo, decisivamente,  para o desenvolvimento e progresso de nossa Comuna, também  rendemos nossa mais justa homenagem.

                   Às  destemidas  Famílias de pioneiros que aqui se aportaram vindo de outras regiões do Estado, juntando – se à Família Storti, também expressamos nossas mais justas  mensagens de agradecimentos.

                   Se porventura  o nome de algum Pioneiro deixou de constar nesse trabalho, seja por ausência de informação ou por esquecimento de nossa parte, solicitamos escusas por nossa falha, pois também a esses heróis anônimos  o nosso grande respeito e admiração.                             

                   Esta sinopse foi iniciada em abril de 1 983 e concluída no dia   20 de agosto de  1 986.

Autoria: Trabalho desenvolvido  por  José  Matiussi

Prefeito Municipal:  Orlando Molina

Fontes de Informações: contribuição das seguintes personalidades:

- Mário Storti ( maior fonte de informação  para esse trabalho )

- Professor Alfredo Gabriel ( Gerente da Agência da Caixa Econômica  do Estado de São Paulo S.A. – Guaraçaí)  

- Professor Pedro José dos Santos Titico – Diretor de Secretaria da Câmara  Municipal de Murutinga do Sul

- Lincoln de Aguiar Corrêa

- Orlando Molina

 

 

Observação: A partir dessa data foram  incluídos novos dados e informações que se fizeram necessários para  a atualização desse Histórico.

                                   Murutinga do Sul, 28 de dezembro de 2009.

 

                                   José Matiussi ( autor )

 

 







melhor utilizado Firefox - Chrome - Ie9 ou superior
















Galeria Multimídia
Galerias
Rua Orlando Molina, 267 - Centro
- CEP 16950-000 - Murutinga - SP
Telefone: (18)3788-9121
Total de Visitas: 109385   |  Online: 3
Última atualização: 24/02/2017 15:37:52



SIC - Serviço de Informação ao Cidadão
Nome: Município de Murutinga do Sul
E-mail: prefeitura@murutingadosul.sp.gov.br
Telefone para esclarecimentos: (18) 3788-9121
Endereço: Rua orlando Molina - 267 - Bairro Centro
Atendimento: das 08:00 às 11:00 e das 13:00 às 16:00
2017 © Todos os direitos reservados